Páginas

27 de abril de 2011

A escolha de Álvaro Magalhães

O email chegou durante a interrupção lectiva da Páscoa, mas não divulgámos logo as boas notícias porque preferimos esperar a autorização do escritor Álvaro Magalhães para publicar aqui no blogue a mensagem que nos enviou. Falamos, obviamente, da selecção do melhor texto inspirado nos livros da colecção "Crónicas do Vampiro Valentim". Ora vejam:
email enviado pelo escritor Álvaro Magalhães (clicar na imagem para aumentar o tamanho)
São realmente boas notícias! Todos os alunos estão de parabéns por serem leitores entusiastas das aventuras do Vampiro Valentim e por quererem escrever um texto original sobre esta personagem. Quando fizemos a proposta inicial não tínhamos ainda pensado em pedir colaboração ao autor Álvaro Magalhães, ainda bem que assim foi. A ele, que prontamente acedeu ao nosso pedido e leu com carinho os trabalhos dos jovens escritores, deixamos o nosso agradecimento.
Quanto ao texto vencedor, cá está ele:
***

O meteorito negro
            Numa noite muito gelada o vampiro Valentim foi dar uma volta. Viu uma gruta escura e foi ver o que estava lá. Quando chegou encontrou a gruta com um buraco em cima e no chão estava um meteorito que ainda deitava fumo. O Valentim não sabia o que era, foi chamar o avô para ver.
            - Avô, venha comigo, eu vi um meteorito dentro de uma gruta.
            - Então vamos lá ver o que é.
            Foram os dois para a gruta e o avô, quando viu o meteorito, disse:
            - Não lhe toques, é um meteorito muito raro! Não o conheço mas vou ver ao meu livro que espécie é.
            - Está bem, avô.
            O Valentim foi vendo a gruta mais para a frente até que viu uma coisa escrita na parede e que dizia:
“Vida de vampiro não presta.”
            No chão também estava escrita uma coisa que dizia:
“Eu procuro o meteorito preto porque sou vampiro e quero uma vida normal.”
            O Valentim foi ficando cada vez mais assustado, até que voltou para trás. O avô tinha chegado com más notícias:
            - Valentim, trago más notícias. Se tocarmos neste meteorito ficamos humanos.
            - O quê?!
            Depois chegou a família toda para ver o que se passava e a Dentinho perguntou:
            - O que se passa?
            - Estás a ver este meteorito preto? Se lhe tocares ficamos humanos com vida normal.
            E a família ficou espantada.
            Depois o Valentim lembrou-se:
            - Faz todo o sentido! Eu encontrei uma coisa escrita na parede que dizia “Vida de vampiro não presta.” e no chão dizia “Eu procuro um meteorito preto porque sou vampiro e quero uma vida normal.”.
            O pai disse:
            - O que é que escolhemos, vampiros ou humanos?
            A mãe, o Valentim, a Dentinho e o avô ficaram baralhados.
            - Eu quero ser humano com vida normal. – Disse o pai.
            - Eu também. – Disse o avô.
            - Eu também. – Disseram a mãe e a Dentinho ao mesmo tempo.
            Só faltava o Valentim. Ele gostava da vida que tinha mas também queria ter uma vida normal, então disse que sim.
            Tocaram todos no meteorito e já eram humanos, foram todos para casa viver uma vida normal e viveram todos felizes para sempre.

João Miguel Pires Ramos
4º ano

Sem comentários:

Enviar um comentário